Abrir conta digital grátis Carregando

Planejamento de vendas: 6 tendências e dicas para estruturar o seu para 2021

Publicado em 04 de dezembro de 2020 (atualizado em 16 de dezembro de 2020)
Planejamento de vendas: 6 tendências e dicas para estruturar o seu para 2021

Chegamos ao fim de mais um ano! Isso significa que é hora de focar em 2021 e visualizar novos caminhos, especialmente diante do cenário de pandemia em que ainda estamos vivendo. Para os donos de negócio, este é o momento ideal para rever estratégias, estabelecer novas metas e, claro, criar um bom planejamento de vendas para o próximo ano. 

Sabemos que não é fácil prever como será o futuro pós-pandemia. Mas algumas mudanças já deram sinais de que será um mundo intensamente conectado pela tecnologia. Mais do que nunca, é importante que, agora, os empreendedores estejam antenados para não perderem nenhuma oportunidade.

Diante disso, separamos algumas dicas e tendências comerciais para 2021 que podem te ajudar a definir os próximos passos do seu negócio. Vamos lá?

Dicas para estruturar o seu planejamento de vendas para 2021

Criar um bom planejamento de vendas pode te ajudar a visualizar melhor as metas e estratégias para o próximo ano, seja para continuar crescendo ou para retomar o crescimento impactado pela pandemia. Entendemos que 2020 foi um ano atípico e que, provavelmente, 2021 será bastante desafiador. Por isso, separamos algumas dicas:

Analise seu histórico de vendas

A intuição pode trazer bons insights, mas pensar a partir de métricas e dados concretos vai te ajudar a definir objetivos mais precisos para o próximo ano. Por isso, avalie o seu histórico de vendas de 2020 e veja se você atingiu as metas que foram estabelecidas no ano anterior.

É provável que o seu resultado tenha sido impactado pela pandemia. Mas é justamente esse fator que vai direcionar os seus próximos passos. Você vai manter a mesma meta financeira? Vai revisar a tabela de preços? Pensa em oferecer novos produtos e/ou serviços? A sua decisão precisa ser tomada com base na interpretação desses dados.

Identifique oportunidades no seu segmento de mercado

Os efeitos da pandemia fez a dinâmica da economia global e do ambiente de negócios mudar. Cada setor foi impactado em diferentes aspectos. Por isso, este é o momento de identificar novas oportunidades no seu segmento de mercado. Observe a concorrência, converse com parceiros e dê atenção às novas demandas e hábitos dos clientes.

Para complementar: Como e por que fazer uma Análise SWOT em seu e-commerce

Defina os objetivos e estratégias para próximo ano

Depois de estudar o histórico de vendas e pesquisar novas oportunidades, é hora de definir objetivos, estratégias e táticas para colocar em prática o seu planejamento de vendas. 

Quais são as suas projeções para 2021? Determine os objetivos que vão direcionar as suas ações durante o ano e táticas para orientar o dia a dia da sua equipe de vendas. 

Veja também: Como fazer um planejamento eficiente para o início do ano

Checklist de Rotinas para Gestão Financeira

6 tendências para a área de vendas em 2021

1 – Lojas virtuais 

O aumento das vendas remotas foi um dos efeitos mais visíveis da pandemia no varejo. Se antes já havia uma tendência caminhando para a transformação digital em vendas, agora, isso se tornou ainda mais forte.

Para respeitar as medidas de isolamento social, muitas empresas viram no comércio eletrônico uma saída para driblar os impactos da crise sanitária. A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) indica que, no Brasil, foram criadas 150 mil novas lojas online no período de março a julho deste ano.

O Marketplace também foi uma alternativa muito escolhida pelos varejistas. Cerca de 80% deles escolheram plataformas como Mercado Livre e Magazine Luiza para vender os seus produtos.

E tem mais: o número de consumidores virtuais também cresceu. Segundo o Relatório da Ebit/Nielsen, 7,3 milhões de brasileiros compraram em lojas online pela primeira vez durante o primeiro semestre de 2020.

Como deu para notar, tudo indica que, no próximo ano, essa tendência se manterá. Por isso, se sua loja ainda não está presente no ambiente digital, talvez seja o momento de avaliar essa alternativa e ajustar os seus canais de venda, especialmente frente aos novos hábitos dos consumidores.

Confira: 5 dicas para abrir uma loja virtual

2 – Omnichannel 

Como vimos, muitas lojas físicas migraram para o ambiente virtual. Mas, e agora? Vale a pena manter as duas funcionando?

Bom, cabe a você definir no planejamento de vendas os investimentos para o próximo ano. Mas, a experiência omnichannel é um plano bem interessante para aumentar as vendas. A estratégia possibilita combinar a venda de produtos em diversos canais — online e offline — de forma integrada.

A grande premissa dessa prática é oferecer ao consumidor a mesma experiência de compra, independente do canal escolhido. Ou seja, o cliente tem a opção de ir até sua loja física, testar o seu produto, mas fazer a compra virtualmente. Ou, então, ir à sua loja física para comprar o produto, depois de ter pesquisado sobre ele na sua loja virtual. Tudo isso, vivendo a mesma experiência com a sua marca.

3 – Personalização no e-commerce

Continuando na onda das tendências digitais, a personalização da experiência do consumidor é uma ideia que pode ser incluída no seu planejamento de vendas.

Mais do que oferecer produtos, os clientes querem ofertas que atendam as suas preferências de forma individual e personalizada. Aqui, não estamos falando de indicações de produtos mais vendidos, mas do produto ideal para aquele consumidor específico.

Existem mecanismos que ajudam a interpretar o comportamento do cliente, como as tecnologias de Inteligência Artificial e Big Data. Na prática, você pode usar esses dados para recomendar um produto que o consumidor já tenha demonstrado interesse. Dessa forma, você consegue aumentar as chances de compra daquele item.

4 – Assinatura como modelo de negócio

A assinatura é um modelo em expansão no ambiente digital e pode ser uma maneira de diferenciação no mercado. Esta opção é usada em pagamentos recorrentes, ou seja, em planos com cobranças frequentes. Quer um exemplo fácil? Os streamings como Netflix, Amazon Prime e Spotify!

Na assinatura, as cobranças são feitas, periodicamente, em intervalos que podem ser mensais, bimestrais, trimestrais, semestrais ou até anuais. Além disso, essa solução contempla cobranças automáticas no boleto e no cartão de crédito.

Mas se engana quem pensa que a assinatura se limita a streaming de filmes e músicas. A Amazon, por exemplo, oferta a opção de compra recorrente para várias categorias de produtos. Também temos o exemplo da Glambox, a assinatura de uma caixinha de beleza com produtos selecionados de acordo com o perfil do cliente.

Em síntese, a assinatura é uma boa maneira para promover a fidelização de clientes e, consequentemente, a recorrência de receita no seu negócio. Por isso, também é uma opção para o seu planejamento de vendas!

Veja 5 ideias de clubes de assinatura: Clube de assinatura: como funciona e como montar um para seu e-commerce

5 – Social Selling

Apesar de não ser uma novidade, a venda social pode ganhar mais destaque no próximo ano e ser uma boa opção para incluir no seu planejamento de vendas.

Se você ainda não conhece, essa é uma alternativa para prospectar clientes. A ideia é que, por meio das redes sociais como LinkedIn, Twitter, Facebook e Instagram, você construa um relacionamento de confiança com o seu potencial cliente para criar novas oportunidades de vendas. 

Imagine que a venda social é uma abordagem mais sutil para conquistar clientes. Para adotar essa estratégia, você deve treinar a sua equipe de vendas com o objetivo de humanizar o contato com o prospect. É fundamental que os seus vendedores sejam especialistas no seu segmento e estejam alinhados ao posicionamento da sua marca. 

O Social Selling pode ser o caminho para encontrar novas oportunidades, diminuir o ciclo de vendas, reduzir o custo de aquisição de clientes e aumentar a retenção.

Leia também: Descubra 11 dicas práticas para aumentar as vendas com as redes sociais

6 – Pagamento via Pix

Incorporar mais opções de pagamentos no seu negócio é sempre uma boa aposta para melhorar a experiência do cliente e, claro, vender mais.  

Por isso, outra tendência que pode entrar no seu planejamento de vendas é o famoso Pix do Banco Central. Além de ser mais disponível, rápido e seguro, também é uma ótima oportunidade para mostrar que a sua empresa acompanha as novidades e se preocupa em oferecer uma modalidade de pagamento mais condizente com os novos tempos.

Em resumo, o Pix permite enviar e receber valores de forma instantânea, a qualquer hora e dia da semana. Para o consumidor, é um meio de pagamento mais inclusivo e que promete atrair o público desbancarizado. Isso porque basta um celular conectado a uma conta digital para realizar as transações. 

Por outro lado, para os e-commerces e lojas físicas, a instantaneidade dos pagamentos via Pix pode otimizar o controle do fluxo de caixa, facilitar a gestão de estoque e reduzir os custos operacionais. Além disso, é uma vantagem para atrair novos clientes. 

Ah! E você pode enviar e receber Pix, gratuitamente, pelo app da Gerencianet, mesmo sendo pessoa jurídica. Para isso, basta baixar o aplicativo no seu celular e abrir a sua conta digital gratuita. Mas se quiser automatizar as cobranças na sua loja online, você pode usar a API da Gerencianet, que segue o padrão do Banco Central. 

Enfim, esperamos que as nossas dicas te ajudem a preparar o seu negócio para o próximo ano. Até a próxima e boas vendas! 🧡

Categoria

Empreendedorismo

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições. OK