Abrir conta digital grátis Carregando

Como precificar um produto da sua loja para ter lucro?

Publicado em 20 de junho de 2022 (atualizado em 20 de junho de 2022)
Homem branco em um escritório, usando uma calculadora para descobrir como precificar um produto.

Está procurando um tutorial fácil para aprender como precificar um produto da sua loja? Vem com a gente!

A definição do preço de um produto pode determinar o sucesso ou fracasso de um negócio. Por isso, seguir uma estratégia com equilíbrio entre preço, despesas e margem de lucro é fundamental.

Com o cálculo certo e um preço bem ajustado você conseguirá atingir seu objetivo — seja ele qual for: ampliar as vendas, aumentar o lucro e até reagir aos concorrentes. Vamos entender melhor?

Por que é importante precificar corretamente o seu produto?

O preço tem peso estratégico em um negócio. Focar somente em atrair clientes ou em vender muito não significa, necessariamente, que você vai fechar o mês com um alto índice de lucro.

Por isso, a definição de um preço de venda competitivo no mercado, que consiga cobrir as suas despesas e, ao mesmo tempo, ser lucrativo para o seu negócio é o ponto-chave para não ter prejuízo.

Segundo um estudo realizado pelo Preço Certo, 54,9% dos lojistas admitem não saber o lucro exato que sua empresa tem. Isso é muito perigoso, afinal, quanto menor for a margem de lucro, mais riscos de falência um negócio pode ter.

Como uma Instituição de Pagamento pode turbinar as vendas do seu negócio?

💡 Glossário do empreendedor

Antes de aprender como precificar um produto, é fundamental que você saiba o significado de alguns conceitos que fazem parte do cálculo. 

Você pode consultar este glossário sempre que tiver dúvidas!

Faturamento: é a soma total dos valores recebidos pelas vendas em um determinado período.

Lucro: é o dinheiro que sobrou em caixa, depois de deduzidos os gastos fixos e variáveis que a empresa tem. Ou seja, uma empresa pode ter um faturamento alto e lucro baixo, caso não escolha bem os preços do produto.

Custos de produção: são todos os gastos necessários para produção de um produto, como matéria-prima, mão de obra, fornecedores e distribuição. Em outras palavras, é quanto você investiu para adquirir o produto que vai vender.

Despesas fixas e variáveis: são os gastos relacionados a manutenção do negócio, que podem ser fixos (como contas de consumo, aluguel e salários) e variáveis (como impostos, comissões e fretes).

Preço: é o valor monetário definido para determinado produto.

Valor: são diferenciais que extrapolam o produto. É por este motivo que algumas pessoas pagam mais por produtos substancialmente semelhantes — como é o caso de marcas de luxo. 

Na prática: como precificar um produto?

Muitos fatores influenciam no preço final de um produto. Para este cálculo fechar no azul, é importante levar em conta os custos de produção do produto, as despesas fixas e variáveis do seu negócio, além de escolher uma margem de lucro que ofereça uma rentabilidade responsável para a sua empresa.

Analisar a concorrência também é um passo fundamental. Até porque de nada adianta escolher um preço que não é compatível com o mercado ou que não atende o poder de compra do seu cliente. Quem nunca desconfiou de um preço muito abaixo do esperado ou achou um produto extremamente caro se comparado com os demais, não é?

Dito isto, vamos ao passo a passo de como precificar um produto.

Markup

Para calcular, usaremos a fórmula de Markup, um índice que permite definir o preço com equilíbrio entre custos, despesas e lucro.  

Para ficar mais fácil de entender, vamos contar a história do Jorge, que tem uma loja de roupas e precisa precificar um novo modelo de camisa. 

Jorge tem os seguintes dados sobre seu negócio:

  • despesas fixas (DF): 10% sobre a venda;
  • despesas variáveis (DV): 15% sobre a venda;
  • margem de lucro (ML): 20% — é quanto ele deseja lucrar sobre a venda;
  • custo de produção (CP): R$ 40 cada unidade.

Para calcular o Markup, basta aplicar a seguinte fórmula:

Markup = 100 / 100 – (DF + DV + ML)

Substituindo, fica assim:

Markup = 100 / 100 – (10+15+20)

Markup = 100 / 100 – 45

Markup = 100 / 55

Markup = 1,81

Agora, para achar o preço de venda por unidade, vamos multiplicar o Markup pelo custo de produção.

Preço de venda = CP x Markup

Preço de venda = R$ 40 x 1,81

Preço de venda = R$ 72,40

Resumindo: Jorge deve vender cada camisa por R$ 72,40 para conseguir quitar as despesas fixas e variáveis, os custos de produção e ainda ter o lucro desejado.

Margem de contribuição

Outro indicador que pode te ajudar a precificar seu produto é a margem de contribuição. A margem de contribuição é um tipo de lucro, conhecido como lucro bruto, capaz de dizer se a receita de uma ou mais mercadorias é suficiente para pagar os custos e despesas fixas e ainda gerar lucro.

Você vai precisar desse índice para identificar quantas vendas são necessárias para chegar ao ponto de equilíbrio (ou break-even-point), por exemplo. Ela também pode ser usada para planejar promoções, estipular metas para o time de vendas e ajustar os preços dos produtos.

A conta é simples:

Margem de contribuição = Preço de venda – (Custos variáveis + Despesas variáveis)

Usando o exemplo anterior, Jorge já possui os seguintes dados:

  • preço de venda: R$ 72,40 por unidade;
  • custos variáveis (ou custos de produção): R$ 40 por unidade;
  • despesas variáveis: 15% sobre a venda — ou seja, R$ 10,86.

Na ponta do lápis, fica assim:

Margem de contribuição = 72,40 – (40 + 10,86)

Margem de contribuição = 72,40 – 50,86

Margem de contribuição = R$ 21,54

Ou seja, cada produto vai contribuir para os pagamentos fixos da empresa com R$ 21,54.

👉 Para encontrar a margem de contribuição total, basta multiplicar a quantidade vendida em um determinado período pela margem de contribuição unitária. 

Suponha que Jorge vendeu 250 camisas em um mês e quer encontrar a margem de contribuição total. Para isso, basta fazer a seguinte conta: 

Número de vendas x Margem de contribuição unitária

250 x 21,54 = R$ 5.385,00

Por fim, para descobrir se sobra alguma margem de lucro, basta subtrair as despesas fixas da margem de contribuição. 

Um pouco complicado? Se você não está familiarizado, pode ser que sim. Mas com a prática esse cálculo vai se tornando mais fácil. 😉

E se o resultado não me der lucro?

Neste caso, há algumas saídas:

  • você pode estudar a concorrência para aumentar ou diminuir o preço do seu produto e, assim, ganhar mais competitividade no mercado;
  • outra alternativa é cortar gastos supérfluos com custos de produção e despesas fixas;
  • ou elevar o número de vendas — a comissão, por exemplo, é uma ótima forma de motivar os funcionários a venderem mais.

Fique sempre atento(a)! A estratégia de precificação exige um monitoramento contínuo do mercado e dos concorrentes.

Bônus: quanto cobrar pelo meu serviço? 

Até aqui, você já aprendeu como calcular o preço de venda de um produto. Mas e se você for um prestador de serviços? 

Neste caso, é importante levar em conta também as horas trabalhadas e qual o seu nível de experiência profissional. Para te ajudar nessa missão, criamos um guia com 8 dicas que vão facilitar a definição do preço do seu serviço

Gostou do nosso artigo? Que tal compartilhá-lo? Assim, outros profissionais da área poderão descobrir como precificar um produto adequadamente para não ter prejuízo. 

Categoria

Financeiro

Ver todos os posts desta categoria

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições. OK