Abrir conta digital grátis Carregando

O que é Break Even Point e por que isso é importante? Entenda!

Publicado em 29 de janeiro de 2021 (atualizado em 29 de janeiro de 2021)
O que é Break Even Point e por que isso é importante? Entenda!

Avançar na jornada do próprio negócio não é a missão mais simples, mas na rotina de um empreendedor, é interessante conhecer alguns conceitos que ajudam a encurtar o caminho. O break even point é um deles, capaz de antecipar soluções e proporcionar grandes diferenciais para o negócio. Já ouviu falar nesse conceito?

O break even point – ou ponto de equilíbrio, no bom português – é um indicador que ajuda a entender o ponto que divide o lucro do prejuízo. Explicando melhor: é como se você conseguisse saber qual é a linha que divide o momento exato em que uma empresa para de dar prejuízo e começa a gerar lucros.

Conheça melhor o break even point e aprenda a calculá-lo para organizar melhor a gestão e a saúde financeira do seu negócio. Siga a leitura para descobrir como!

O que é break even point?

Momentos de crise, como a provocada pela pandemia da Covid-19, podem afetar diferentes nichos de negócio, sobretudo no aspecto econômico. Prova disso é que só em 2020, mais de 700 mil empresas fecharam as portas, sem expectativa de reabertura

Nesse contexto, encontrar equilíbrio financeiro é fundamental para garantir segurança e não sair tão prejudicado de momentos conturbados – externos ou mesmo internos. É como encontrar um “meio termo” entre ganhos e perdas, ou lucros e prejuízos.

Para ajudar a equilibrar essa balança, surgiu o termo inglês denominado break even point (BEP). Na tradução para o português, ele pode ser interpretado como ponto de equilíbrio, ponto crítico, ou ainda, ponto de ruptura. Trata-se de um dos principais índices que uma organização pode usar na hora de mensurar o sucesso financeiro.

Em resumo, a aplicação desse termo aponta a margem de investimento de um negócio, ou seja, se de fato é hora de afrouxar ou apertar os cintos. Em outras palavras, é um indicativo de equilíbrio entre despesas e receitas em uma organização.

Quando os cálculos demonstram que a organização atingiu o break even point, significa que os custos e as despesas totais são iguais à receita total. Isso quer dizer que você não teve nem lucro nem prejuízo

Por que medir o ponto de equilíbrio é importante?

Com base no ponto de equilíbrio, é possível conhecer o faturamento mínimo para manter a empresa de pé, cobrindo os gastos daquele período analisado.

A aferição do ponto de equilíbrio de uma empresa é importante, sobretudo, para ter uma real noção da situação atual, o que auxilia na tomada de decisão imediata ou futura

Os empreendedores que desejam identificar a viabilidade de um produto ou projeto antes de colocá-lo em prática, por exemplo, também têm no break even point um importante apoio.

Além de beneficiar o negócio em si, o cálculo do BEP permite que o empreendedor descubra o momento em que um produto ou serviço “pagará seus custos” – fixos e variáveis – e começará a, de fato, gerar lucro.

Isso é importante especialmente quando se está abrindo um novo negócio, porque gera as expectativas certas em todos aqueles que investiram – não apenas você, mas também os sócios que iniciaram essa empreitada. 

O conceito é relevante porque mostra quando os investimentos se igualam aos custos. Em outras palavras, quando o ponto de equilíbrio é alcançado e não há mais perda de capital. Isso quer dizer que o negócio já provou o seu valor no mercado e tem boas oportunidades para crescer.

Além disso, o break even point auxilia os empreendedores a entenderem os valores do caixa da empresa e também a terem lucro com as atividades da empresa. Uma vez que é possível antecipar resultados com esse indicador, também é possível antecipar soluções para contornar a situação.

Como calcular o break even point?

Chegar ao break even point não é nada complexo. O primeiro passo é ter clareza quanto aos números que fazem parte da conta que iremos mostrar. 

Identifique despesas fixas e variáveis

Antes de mais nada, é preciso conhecer os custos e despesas – fixas e variáveis – da sua empresa, além da margem de contribuição. 

Comece pelas despesas fixas – necessárias para a manutenção do negócio, como salário dos funcionários, aluguéis, contas, entre outras. Depois é a vez das despesas variáveis, ou seja, aquelas que sofrem alterações periodicamente.

Uma outra identificação importante é a chamada margem de contribuição. Já ouviu falar nesse termo? Ele representa o ganho bruto sobre as vendas de serviços ou produtos comercializados pela empresa, e pode ser resumido pela seguinte equação abaixo.

Margem de contribuição = Preço de venda do produto ou serviço – (custo variável + despesas variáveis)

Se você ainda não abriu o seu negócio, uma dica é projetar as receitas de antemão, principalmente se o custo variável da margem de contribuição do produto ou serviço ainda é desconhecido. Como as receitas estão sempre relacionadas aos preços de cada produto multiplicado pelo volume de vendas, é mais confiável procurar pelas informações de maneira separada (ou seja, preço e produto).

Aplique a fórmula

O segundo passo é justamente aplicar a fórmula do ponto de equilíbrio e chegar ao cálculo que pretendemos. A conta é feita a partir da soma das despesas fixas divididas pela margem de contribuição do negócio, conforme fórmula abaixo.

Ponto de equilíbrio financeiro = Despesas fixas / margem de contribuição

Para que a conta faça sentido, é preciso apresentar a margem de contribuição sob forma de porcentagem. Para isso, transforme-a em um número decimal na hora de realizar os cálculos.

Resumindo

Para resumir e fixar o que significa cada um dos termos citados acima, confira a lista abaixo.

  • Custos variáveis: são os gastos de uma empresa para produzir um produto ou para executar um serviço.
  • Custos fixos: são os gastos permanentes e que não dependem do volume de vendas ou da produção.
  • Vendas: é a soma total da venda dos produtos e serviços.
  • Margem de contribuição: é o custo para fabricar uma unidade ou para executar um serviço. O valor é determinado pela subtração dos custos variáveis pelo total de venda.
  • Índice da margem de contribuição: que é igual a margem de contribuição dividido pela receita total bruta da sua empresa.

Um exemplo prático desse cálculo

Para entender melhor os cálculos do break even point, vamos dar um exemplo fictício de uma empresa X no ramo de alimentação que tenha uma despesa fixa de R$ 300 mil por ano e uma margem de contribuição de 25%. O break even point, neste caso, seria calculado da forma abaixo:

BEP = R$ 300 mil (despesas fixas do negócio) / 0,25 (margem da contribuição de 25% transformada em número decimal) = R$ 1.200.000,00.

Ou seja, o montante de receita bruta anual que o negócio precisaria alcançar para não ter prejuízo, tão pouco gerar lucros, é de R$ 1.200.000,00. Portanto, qualquer valor abaixo desse teto acende o alerta vermelho para prejuízos financeiros.

3 dicas para melhorar os resultados financeiros de uma empresa

Agora que você aprendeu o que é o break even point, bem como a importância desse cálculo para a saúde financeira de um negócio, veja algumas dicas para impulsionar os resultados da sua empresa!

Mantenha o fluxo de caixa sempre organizado

Se tratando do break even point, qualquer erro de cálculo ou desorganização nos valores influencia diretamente no cálculo final. Por isso, é importante estar em dia com o fluxo de caixa. Por meio dele, é possível fazer projeções de resultados a curto e longo prazo. Um importante fornecedor de elementos que podem subsidiar o processo de planejamento e tomada de decisões. 

Leia também: Conheça 7 erros no fluxo de caixa mais comuns para você evitar!

Faça projeções para diferentes cenários

Em um momento de crise, é importante apertar os cintos e ter um controle ainda maior com as finanças. Quer um exemplo? O fluxo de caixa que antes era feito uma vez por mês pode ser semanal. Assim, é possível identificar as prioridades financeiras e tomar as medidas necessárias com antecedência

Entre as medidas preventivas recomendadas estão a:

Automatize processos

Hoje em dia, é praticamente impossível pensar na gestão de qualquer empresa sem o uso da inovação. Por isso, utilize a tecnologia a seu favor para reduzir o tempo de execução das tarefas de rotina e avaliação de resultados.

Um exemplo dessa automatização é o serviço oferecido pelas Instituições de Pagamento. Já ouviu falar nesse tipo de negócio? Essas plataformas oferecem ao empreendedor a possibilidade de receber pagamentosde uma forma 100% online, assunto esse que ficou ainda mais em evidência em 2020. De acordo com uma pesquisa feita pelo Capterra, 96% dos consumidores pretendem seguir ou começar a utilizar a tecnologia após o fim da pandemia, confirmando a consolidação dos pagamentos digitais.

As Instituições de Pagamento ainda fornecem informações que podem ser utilizadas por outras áreas da empresa, como relatórios de inadimplência e de pagamentos. Tudo isso contribui – e muito! – para o planejamento financeiro e o equilíbrio das contas. Por isso, otimize a organização financeira do seu negócio com as ferramentas de gestão certas!

Categoria

Empreendedorismo

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições. OK