Abrir conta digital grátis Carregando

Organizando a rotina de cobranças da sua empresa

Publicado em 24 de outubro de 2014 (atualizado em 02 de setembro de 2020)
Otimizando rotina de cobranças da sua empresa

Segundo o Serasa Experian, o número de consumidores inadimplentes bateu recorde em 2018. Comparado com junho de 2017, o aumento foi de 1,98%, saltando de 60,6 milhões para 61,8 milhões. A taxa de inadimplência entre os idosos foi a que mais cresceu, apesar de não fazerem parte da população com maior índice de endividamento. Os adultos de 36 a 40 anos continuam a ser a faixa etária com maior número de inadimplentes, com 47,3% de devedores. Portanto, para organizar a rotina de cobranças da sua empresa é necessário averiguar a porcentagem de clientes que estão nessa faixa.

Além do índice mostrar o aumento da inadimplência no período, ele reforça a ideia de que, por mais que existam campanhas de incentivo ao controle de dívidas e gastos, sempre existirá quem deixa de pagar uma ou outra conta. Sabendo disso, as empresas precisam desenvolver uma rotina de cobranças eficaz, que atendam aos objetivos da instituição e façam com que o inadimplente seja mantido na lista de clientes. Esse não é um objetivo fácil, mas pode ser alcançado quando se observa alguns pontos essenciais. Quer saber quais são esses pontos? Então não deixe de conferir nosso post:

Conheça os inadimplentes para organizar sua rotina de cobranças

Relatórios com a lista de clientes inadimplentes da empresa precisam ser frequentemente gerados. Dessa maneira, o departamento que cuida da rotina de cobranças pode montar estratégias de acordo com cada grupo de clientes. Pode-se, por exemplo, separar os inadimplentes há mais de 30 dias, os inadimplentes habituais e os que já foram cobrados, sendo possíveis candidatos a processos judiciais. Isso direcionará os argumentos e possíveis caminhos que a equipe deverá seguir. O importante é que a rotina de cobranças deixe claro que o interesse da empresa é solucionar o problema de forma vantajosa para ambas as partes.

Respeite a legislação específica

A legislação assegura ao consumidor alguns direitos essenciais quando o assunto é cobrança. O Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 42, garante que as cobranças sejam feitas de maneira sutil e educada, para que o cliente jamais seja constrangido ou exposto ao ridículo. Além do disposto no Código, as diretrizes de cobrança precisam estar delimitadas nos documentos internos da empresa. Elas devem constar no contrato de prestação de serviços da empresa e quaisquer outros documentos que orientem a venda devem ser considerados. Dessa forma, você assegura que nenhuma cobrança seja feita fora do que foi previamente acordado entre as partes.

Capacite sua equipe

Cobrar nunca foi simples, mas como a ação é fundamental para a empresa, deve ser realizada por uma equipe especializada. A equipe precisa ser bem capacitada para o desempenho de tão delicada função. Garanta que o banco de dados do qual o time retira as informações para a realização das cobranças seja alimentado com regularidade. E que a atualização seja feita com o máximo de cuidado possível. Nenhum cliente merece ser cobrado por uma dívida que não tem. Mantenha um calendário regular de treinamentos técnicos e comportamentais para os funcionários. Afinal, muitas vezes, cobrar um cliente exige mais psicologia e empatia do que conhecimentos de valores e índices financeiros.

Separe os débitos por categoria

É importante que seu sistema financeiro permita diferenciar quais débitos devem ser pagos em cartão de crédito ou débito, por meio de boletos, cheques, depósitos ou transferências bancárias. Será possível, assim, fazer um controle direcionado dos pagamentos. Existem plataformas que permitem a gestão completa de pagamentos via boleto e carnês, por exemplo, realizando desde a emissão do boleto até a verificação do pagamento concluído, auxiliando significativamente no controle de recebimentos.

Esteja disposto a negociar

O momento de cobrar também deve ser o de reafirmar a vontade da empresa em resolver o problema do cliente. A empresa deve estar disposta a ouvir o consumidor e a propor alternativas de negociação que sejam realmente eficazes. Se o cliente já dividiu o débito inúmeras vezes e não conseguiu honrar o compromisso, talvez seja a hora de negociar um desconto para o pagamento à vista. Ou ainda, pode optar por melhores condições para uma compra futura. Não existe um método padrão. As soluções devem ser personalizadas, de forma a satisfazer o interesse de todos os envolvidos.

Agora a sua rotina de cobranças da sua empresa já pode ser devidamente organizada! Comente nas redes sociais e nos conte: como era o processo antes dessa organização? Compartilhe suas experiências e impressões conosco Facebook, Twitter, Instagram e Linkendin!

Categoria

Empreendedorismo

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições. OK