Abra sua conta grátis Carregando

Cobrança recorrente: erros que você deve evitar

Publicado em 10 de maio de 2017 (atualizado em 30 de outubro de 2019)
Uma mulher com um celular na mão e usando um notebook

O modelo de cobrança recorrente possui muitos benefícios. Dentre eles, podemos destacar um maior fluxo de caixa previsível e redução de despesas e custos operacionais. Por isso, cada vez mais empresas prestadoras de serviços periódicos estão adotando a ferramenta na gestão de seus negócios. Podemos citar os nichos de academias, escolas, clubes de compras, entre outros, como exemplos de serviços regulares que utilizam cobrança recorrente.

A boa notícia é que pequenas e médias empresas também podem passar a usar o serviço de cobrança recorrente. O serviço pode ser utilizado principalmente se o negócio estiver em pleno crescimento. Mas para desfrutar de todas as vantagens deste tipo de cobrança, é preciso ter controle do fluxo das informações e organização na gestão. Fique atento aos quatro principais erros relacionados ao serviço de cobrança recorrente.

1. Falta de controle no fluxo de cobrança recorrente

No modelo de cobrança recorrente, assim que o cliente começa a pagar, o serviço já deve estar disponível. Ou seja, ser fornecido de maneira integral imediatamente após o cliente adquirir o produto ou serviço. E se ele deixar de pagar um boleto e ficar muitos dias em atraso, o serviço deve ser suspenso, certo?

Para que isso aconteça de maneira efetiva é importante fazer o controle do fluxo de cobrança. Dessa forma, nem você nem seus clientes vão ter qualquer tipo de prejuízo. Além de conseguir identificar quem está pagando e quem não está, é preciso criar regras para interromper os serviços em caso de débito. Porém, é imprescindível reativá-los automaticamente assim que o pagamento for feito. Para isso, é importante levar em consideração o prazo de confirmação de pagamento do sistema que você utiliza.

Caso contrário, você corre riscos que podem prejudicar sua empresa e os clientes. Uma das possibilidades é continuar a oferecer o serviço para os inadimplentes e, com isso, ter prejuízos. Ou, o que é pior, deixar de atender quem está com os pagamentos em dia, prejudicando sua imagem.

2. Contar com um modelo de cobrança engessado

Quem trabalha com cobrança recorrente consegue reconhecer mais facilmente o perfil de seus clientes. Por isso mesmo, sabe que cada um deles possui características e interesses diferentes. Dessa forma, a cobrança também deve ser adequada às necessidades de cada consumidor.

Ao adotar um modelo de cobrança recorrente, procure aquele que permita a personalização de cada acordo. Ele deve ter regras específicas para cada cliente, como a data de pagamento, por exemplo. Afinal, há pessoas que preferem pagar no começo do mês, outras no final. Deixe que o seu cliente escolha o melhor dia para pagar.

Dê também a opção de enviar o boleto por e-mail. Essa funcionalidade auxilia o cliente para que ele possa baixar e imprimir o arquivo ou pagar via internet banking. Outra alternativa é oferecer a cobrança automática direto no cartão de crédito do seu cliente. Esse modelo é mais prático para quem está pagando e diminui as possibilidade de cancelamento ou inadimplência. Dessa forma, você verá na prática que essa personalização auxilia bastante na fidelização do cliente.

Como cobrar clientes inadimplentes

3. Projeção errada de faturamento

Fazer a projeção da receita baseada apenas no número de clientes não dá certo. Isso porque, de um período para outro, eles podem cancelar o serviço contratado ou mesmo não pagar o boleto emitido.

Além de ficar de olho no número de clientes da sua base, controle também as taxas de inadimplência e atraso, para prever um cenário mais seguro dos próximos meses. Verifique sempre quantos clientes possuem fatura em aberto. Saiba quais deles pagam em dia, qual o saldo positivo e negativo de cada um e se a inadimplência ocorre em alguma faixa de valor.

Considere também possíveis impactos causados na sua projeção por promoções temporárias e mudanças pontuais nos contratos das cobranças recorrentes. Se você tem dificuldades com a projeção do faturamento, provavelmente também pode ter problemas com outras questões da gestão financeira. Mantenha-se informado sobre assunto e procure entender melhor sobre as finanças corporativas para buscar uma administração mais assertiva.

4. Não fazer o controle de estoque

O pagamento via boleto também é bastante comum em e-commerces de clubes de assinaturas. Muitos deles lidam não apenas com serviços, mas também com produtos físicos – como clube do vinho, da cerveja ou do pet. Nestes casos, é preciso fazer o controle rígido do estoque e da disponibilidade de entrega das mercadorias.

Quando sua empresa emite e envia o boleto, existe um período entre o pagamento e compensação do banco em que o produto deve ficar disponível para entrega. Portanto, fique de olho nas taxas de inadimplência e no tempo para recebimento ou confirmação do pagamento. Isso ajuda a manter seus preços competitivos e diminui o impacto de boletos gerados e não pagos.

Se você ainda está pesquisando formas de fazer suas cobranças, a Gerencianet pode ajudar! Oferecemos opções para gerenciamento de cobranças recorrentes, com a periodicidade que você escolher, ou cobrança diretamente no cartão de crédito. Então, quer saber mais sobre nossas soluções e serviços? Solicite uma proposta!

Como Utilizar o Boleto para Pagamentos Recorrentes

Categoria

Formas de Pagamento

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.