Abrir conta digital grátis Carregando

O que o empreendedor virtual tem que pagar de imposto?

Publicado em 02 de dezembro de 2014 (atualizado em 22 de setembro de 2021)
Empreendedor virtual: conheça os impostos que devem ser pagos

Você já tem um bom contador?

A questão tributária deve ser olhada por quem realmente entende do assunto. Assim, um contador de sua confiança deve estar à frente de todas as transações, repassando sempre os detalhes à diretoria. Ele precisará considerar as peculiaridades de cada tipo de negócio, incluindo as exigências particulares do Estado onde a empresa tem sede. Vale a pena buscar um profissional que entenda como funciona o empreendedorismo digital.

Você vende produtos ou serviços?

Os impostos variam conforme a natureza da atividade desenvolvida pela organização. Por isso, se a empresa apenas revende os produtos pela internet, incidirá o ICMS em vendas para pessoas físicas ou pessoas jurídicas não contribuintes. Assim, a alíquota utilizada será a adotada no Estado onde esteja sediada a loja virtual, independentemente da localização do comprador.

No caso de a venda ser feita para pessoas jurídicas, contribuintes do ICMS, a alíquota cobrada será a interestadual. Além desse percentual, pode incidir sobre as vendas, quando for o caso, o pagamento de ICMS substituto, COFINS e PIS. Há ainda o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e a CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido) A. CSLL é calculada com base no resultado operacional da empresa.

Se o seu e-commerce vende serviços, o imposto pago será o ISS (Imposto Sobre Serviços), o COFINS e o PIS, calculados sobre o valor do serviço prestado. Também incidirão sobre esse valor o IRPJ e a CSLL. É importante observar a natureza do serviço, já que disso depende a retenção do imposto na fonte, o ISS, COFINS e PIS, além do CSLL e IRPJ.

Guia Completo de Impostos e Regime Tributário

Qual modelo tributário seu e-commerce adota?

Microempreendedor Individual (MEI)

Se sua empresa fatura até 81 mil reais ao ano, é possível optar pelo MEI. Nesse caso, o custo mensal é de R$ 56,00 para comércio ou indústria; R$ 60,00 para prestação de serviços; e R$ 61,00 para comércio e serviço juntos, e a contribuição do INSS e ICMS — ou ISS — já estão inclusas, dependendo da categoria do negócio.

O empreendedor que opta por esse regime está isento de tributos federais, como o Imposto de Renda, o PIS, o COFINS, o IPI e a CSLL.

Simples Nacional

Pode optar por esse modelo o empreendedor cujo faturamento do negócio for de até 3,6 milhões de reais ao ano. Nessa opção, a empresa paga uma taxa única, que varia de 4% até 17,42% e que inclui 8 tributos: Imposto de Renda, CSLL, PIS/Pasep, COFINS, IPI, ICMS, ISS e a CPP. Para se enquadrar nessa categoria, é importante, no entanto, observar as exigências relativas ao ramo de atuação.

Quer fazer uma gestão financeira mais assertiva? Então confira os sete erros no fluxo de caixa que você deve evitar!

Categoria

Financeiro

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições. OK