Abra sua conta grátis Carregando

Entenda o que é dashboard e sua importância para e-commerces

Publicado em 21 de novembro de 2019 (atualizado em 21 de novembro de 2019)
Entenda o que é dashboard

Todo negócio requer o mínimo de planejamento para sair do papel. E para que ele seja bem sucedido, as boas estratégias são fundamentais para alcançar resultados desejáveis no mercado e reconhecimento da marca.

Para mensurar a performance do plano de negócios, os dashboards são imprescindíveis, pois eles são os braços direitos para capturar e organizar os dados, servindo quase como GPS da estratégia. Continue lendo e entenda o que é dashboard e veja exemplos de como usá-los para e-commerces e negócios de sucesso.

O que é dashboard e pra que serve?

Também chamados de “painéis administrativos” ou “painéis de controle”, os dashboard são ferramentas de monitoramento de resultados. Ele reúne, numa só tela, informações organizadas de forma que facilite a observação e interpretação dos dados. Geralmente, infográficos são os principais elementos de um painel administrativo.

Por que isso é importante? O retorno financeiro de um negócio parte da utilidade e valor que os serviços têm para os clientes. Portanto, um dashboard pode te ajudar a entender se o negócio está sendo útil para o público e com bom desempenho, oferecendo os dados de vendas, por exemplo. 

Existem muitos outros fatores que podem ser decisivos, no entanto o dashboard é uma excelente ferramenta para elaborar testes e mensurar qual metodologia auxilia a alcançar os objetivos do negócio. 

Portanto, os dashboards só serão úteis quando você tiver uma pergunta a ser respondida. Dessa maneira, ter os dados de clientes por simples capricho não aumentará os resultados do negócio, como veremos nos próximos tópicos.

Tipos de dashboard

Tipos de dashboard

Como os setores empresariais são variados, os dashboards seguem a mesma tendência, atendendo as necessidades de cada segmento. Portanto, existe uma hierarquia para os tipos de dashboards. Cargos mais altos utilizam painéis estratégicos, enquanto gestores utilizam os táticos e os operadores o dashboard operacional. De forma simplificada, o uso dos dashboards funciona assim:

  • Os CEOs irão definir as projeções futuras do negócio. Assim, os dados dos seus dashboards serão mais amplos, pois é realizada uma previsão referente às informações levantadas no processo;
  • realizadas as metas do negócio, os gerentes deverão estruturar táticas para colocá-las em ação, demandando dos operadores a execução dos planejamentos;
  •  em seguida, cabe ao setor de operação traçar as boas práticas para fazer que tudo seja um sucesso.

Agora podemos aprofundar um pouco mais e seguir para as diferenças entre cada um desses dashboards:

Estratégico

Como dito anteriormente, as informações deste dashboard são apresentadas em uma visão macro. Portanto, são métricas que não definem o futuro do negócio, pois é uma previsão com base nos dados. Em termos práticos, se o e-commerce deseja aumentar suas vendas, é necessário que o CEO  avalie os números durante um período predeterminado e analise  as possibilidade e limitações de crescimento. Daí para frente é preciso dividir o trabalho para as demais equipes que integram o negócio e seus dashboards.

Tático

Chegou a hora de elaborar ações para alcançar as ambições dos CEOs. Seguindo a hierarquia, os gestores são os profissionais que se encaixam no uso dos dashboards táticos. Podemos citar como exemplo as equipes de marketing, pois elas estão habituadas com este modelo de painel, que exige métricas importantes para o planejamento tático.

Dentre tantas métricas, o ROI (retorno sobre o investimento) é um exemplo simples de calcular e que pode servir de apoio para muitos insights. Ele indica o desempenho que os investimentos trouxeram em forma de porcentagem, podendo avaliar se a ação teve impacto positivo ou negativo e, assim, auxiliar na tomada de decisão adequada. 

Vamos retomar o exemplo do aumento de vendas para entender melhor. Um e-commerce pode, e deve, utilizar o ROI como métrica de faturamento. Assim será possível saber se a compra do estoque realmente trouxe retorno financeiro no fim das vendas. 

Se o estoque custou 500 reais e trouxe um lucro de 1000 reais, o ROI será de 100%. Logo, a loja virtual conseguiu arrecadar o dobro do valor investido inicialmente, assim, o produto deve permanecer na loja! Afinal, o objetivo do lucro foi alcançado! 

Uma boa prática para aumentar as chances de um ROI positivo é pensar no seu cliente. Parece óbvio, mas vamos lá. A existência de muitas fintechs de crédito significa uma coisa: os consumidores gostam de versatilidade. Ou seja, quanto mais formas de pagamento seu e-commerce tiver, maior as chances do público consumir de você.

É aí que o dashboard tático também entra em ação, pois ele irá te dizer quanto de dinheiro está entrando e por quais meios de pagamento! Assim será mais fácil avaliar processos e tomar decisões! Se o pagamento por boleto é o preferido, aposte nessa tendência para as futuras estratégias!

Operacional

Como o próprio nome já deixa explícito, os painéis operacionais irão atender as operações. Isso quer dizer que auxiliam nas atividades que estão em execução, nas quais o dashboard permitirá acompanhar em tempo real.

Numa empresa de logística, por exemplo, este modelo de painel será imprescindível para traçar a rota mais adequada através da geolocalização. O analista irá comparar trajetos diferentes e avaliar qual deles teve menor duração, gastou menos gasolina, não possui pedágios e demais fatores importantes para otimizar o processo. 

Essa preocupação é compartilhada pelos aplicativos de mobilidade urbana, que também utilizam esse tipo de dashboard. Afinal, é importante saber quem são os motoristas e passageiros ativos até mesmo para questões ligadas à segurança dessas pessoas.

Porém, existem muitas outras informações e recursos disponíveis nesse tipo de aplicativo, bem como alteração das tarifas, relatórios financeiros personalizados, criação de cupons de desconto, notificações push

Boas práticas para o uso de dashboard

Boas práticas para o uso de dashboard

Como dito anteriormente, de nada adianta ter uma gama de dados e informações sem utilidade. A esperança é que você queira aplicar o uso de dashboard depois de ler este artigo. Por isso, já adianto uma dica: tenha um pensamento data driven

Mas você pode se perguntar o que é isso. Somente no Brasil, 116 milhões de pessoas estão conectadas à internet. Este mesmo montante produz uma quantidade considerável de dados a todo instante de navegação. No mundo todo, 2,5 quintilhões de bytes são criados por dia, de acordo com a companhia Domo. Toda essa informação pode guiar todos os tipos de planejamentos.

Portanto, o pensamento data driven é fazer o uso de dados para traçar estratégias. Dessa forma, a interpretação eficiente dos dados é fundamental para alcançar as metas. Para isso, tenha sempre em mente um público e objetivos bem definidos, de modo que facilite o processo de análise dos dados e otimize os planejamentos.

Lembra do exemplo das formas de pagamento? Pois bem. A efetividade das vendas também se deu pelo nível de proximidade do e-commerce com o consumidor. Portanto, o pensamento data driven precisa estar presente durante a elaboração das estratégias, criando-a a partir das informações adquiridas e exibidas pelo dashboard. Reforçando: sempre tenha seu cliente em mente!

E, aí? Convencido de que o dashboard é importante para a gestão financeira? Que tal saber também como aprimorar o seu e-commerce criando um aplicativo personalizado para ele? 

Este artigo foi produzido pela Usemobile.

Categoria

Gestão Financeira

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.