Abra sua conta grátis Carregando

Saiba quais são os custos de funcionário que uma escola tem

Publicado em 03 de outubro de 2018 (atualizado em 31 de julho de 2019)

O custo de funcionário para uma instituição de ensino envolve muito mais do que o salário pelos seus serviços. Apesar desse conhecimento ser algo básico, muitos gestores ainda erram ao calcular os encargos adicionais que um profissional tem para a empresa, o que eleva as chances de falhas no planejamento financeiro.

A seguir, explicaremos a importância do relatório de custos e despesas da escola. No entanto, antes é necessário entender por que é essencial fazer um orçamento antes de contratar um colaborador. Então confira!​

Por que é essencial fazer um orçamento antes de contratar um colaborador?

O RH e o Departamento de Pessoal são os setores responsável por coordenar as despesas ligadas à gestão do capital humano. E esse custo vai desde o processo de recrutamento até os salários de cada cargo. Isso faz com que essas áreas precisem estar sempre atentas às exigências da legislação trabalhista. Portanto, é preciso sempre planejar os custos que cada colaborador terá para a instituição.

Por exemplo, se a escola tem o objetivo de crescer é preciso saber como essa meta impactará na contratação ou na necessidade de qualificação do profissional que ali atua. Além disso, cabe a esses departamentos prever os gastos com reajustes anuais de salários, bem como o impacto de planos de saúde e odontológico na folha de pagamento, aumento no vale-transporte, alimentação, refeição etc.

Saiba Como Definir o Preço da Mensalidade Escolar 

E como eles desenvolverão esse planejamento orçamentário? Por meio de análises de dados de períodos anteriores. Pode-se utilizar, por exemplo, taxa de absenteísmo, turnover, demissões, promoções, lucratividade por colaborador, entre outros.

Todos esses índices impactam no orçamento e devem ser estudados a fundo. Dessa maneira, a empresa pode conhecer o real custo do funcionário para a escola e como adaptar a remuneração à realidade. Assim, é possível criar um processo eficaz para atrair e selecionar os melhores profissionais.

Como calcular custo de funcionário para a escola?

O custo de funcionário vai além do salário bruto que ele recebe, como já mostramos. Além dele, há os dissídios, FGTS, férias e outros direitos e encargos garantidos pela CLT. Ter consciência disso ajudará a conhecer melhor a realidade financeira da escola e a fazer o cálculo correto do valor de um colaborador. Vale ressaltar que o valor também variará de acordo com o regime tributário da instituição de ensino, como exemplificaremos a seguir!

Como Definir o Orçamento da Minha Escola

Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime tributário que se aplica às microempresas e também àquelas organizações de pequeno porte. Por meio de uma guia única são pagos impostos relativos a encargos municipais, estaduais e federais.

Se ele for o que vigora na sua escola, que por sua vez se encaixa nas empresas do anexo I, II e III, os seguintes custos estarão atrelados ao funcionário

  • 8% de FGTS mais 8% do FGTS anual;
  • férias;
  • 1/3 de férias;
  • 13º salário;
  • provisão mensal, que soma as férias ao 1/3 delas mais 13º salário e 8% do FGTS anual, dividindo o total por 12.

Existem ainda dois percentuais deduzidos da folha de pagamento do profissional. São eles os 8% do INSS e os 6% do vale-transporte. Este último pode variar para menos se assim a escola optar.

Lucro Presumido ou Real

O Lucro Presumido faz a apuração tanto do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e tem como base o cálculo de uma margem de lucro previamente fixada segundo a legislação. Já no Lucro Real, o cálculo do IRPJ e da CSLL é feito em cima do lucro total (que inclui adições, exclusões e compensações). Ambos englobam empresas com faturamento superior a R$ 3,6 milhões anuais.

O cálculo dos custos de funcionário tem a base similar das empresas que estão no grupo do anexo IV do Simples Nacional. Esses negócios, em vez de pagar 8% sobre o INSS, devem recolher 20%, além das férias, 13º e outros elementos citados. Ainda, precisam pagar a alíquota RAT, que varia de 1% a 3%, a fim de indenizar acidentes de trabalho.

No caso do Lucro Presumido ou Real, além desses valores citados acima existe ainda a Alíquota de Terceiros. Ela é usada para financiar programas governamentais, tais como SESC, SESI e SENAI e pode ter uma porcentagem variável.

Outros custos

Custos de funcionário - CustosOs encargos citados correspondem aos sociais, mas as empresas ainda têm outros custos, como vale-transporte, vale-alimentação, plano de saúde, odontológico e outros. Esses são benefícios oferecidos aos colaboradores, importantes instrumentos de atração e retenção de talentos.

No caso do vale-transporte, por exemplo, o valor total oferecido ao colaborador pode ser descontado do pagamento em até 6%. Ademais, não podemos nos esquecer de outros custos rotineiros.  Treinamentos e capacitação de colaboradores, viagens, participação em congressos e eventos, entre outros, por exemplo, devem ser contabilizados. Assim, o investimento acaba retornando para a instituição de ensino, tendo profissionais mais qualificados para atuar em seus cargos.

Guia Completo de Impostos e Regime Tributário

Qual a importância de fazer um relatório com os custos e despesas da escola?

Como vimos, os custos de um profissional para uma escola são altos. Porém, isso não é um problema se eles trazem resultados positivos para a instituição de ensino.

Por esse motivo, um relatório de custos e despesas da escola é muito importante. Por meio dele é possível que a escola não só elimine os desperdícios, mas também invista corretamente o dinheiro. Além disso, a instituição ainda consegue cumprir com todas as obrigações trabalhistas.

Aliás, vale lembrar que a folha de pagamento está ligada ao custo de uma escola. No entanto, ela diz respeito a elementos-chaves para o funcionamento da instituição, que são os seus funcionários. É muito importante ter essa diferenciação bem clara dos gastos, que estão ligados às atividades operacionais.
Manual Financeiro para Empreendedores

Não se esqueça de que o relatório ajuda os gestores a terem uma visão mais ampla de como o negócio está e para onde está caminhando. Isso significa que ele será fundamental para saber em quais setores investir. Além disso, será possível tomar decisões mais acertadas em relação à valorização profissional.

Como vimos no artigo, o custo de funcionário para a escola é composto por uma série de variáveis. Quando o gestor tem consciência disso e calcula todos os impostos e encargos corretamente, ele consegue realizar uma gestão financeira mais eficaz.

Ainda sobre a gestão financeira precisamos, destacar que outros pontos são igualmente importantes. Alguns exemplos é a utilização de sistemas de pagamentos, que além de trazer mais segurança, garantem mais precisão das receitas geradas. Quer saber mais sobre o assunto? Então entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!

eBook grat

Categoria

Gestão Financeira

Ver todos os posts desta categoria

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos exclusivos sobre tecnologia de pagamentos e gestão, para alavancar de vez os seus negócios.