Você sabe como utilizar o boleto para pagamentos recorrentes? | Gerencianet

Blog da Gerencianet

Pagamentos on-line, empreendedorismo e e-commerce

Você sabe como utilizar o boleto para pagamentos recorrentes?

Editor Gerencianet

10/06/2019

Você sabe como utilizar o boleto para pagamentos recorrentes? Com ele, é possível agendar o envio de cobranças para os seus clientes com a periodicidade desejável. Ela pode ser mensal, a cada 2 meses, 3 meses, 6 meses, anual ou a cada 2 anos.

Os boletos gerados por recorrência possuem sempre os mesmos dados, como item de cobrança, valor, dia do vencimento e forma de envio. Para alterar alguma informação presente no documento, é necessário cancelar a assinatura e configurar uma nova. Após a configuração da cobrança, ela é  gerada 10 dias antes da data de vencimento e enviada automaticamente para o e-mail do cliente.

Boletos Recorrentes ou Carnê?

Alguns clientes já sabem como utilizar o boleto para pagamentos recorrentes e outros preferem os carnês para cobrar mensalidades. Apesar de possuírem o mesmo objetivo, algumas características são diferentes. Confira a seguir!

O que são boletos recorrentes?

Boleto recorrente é uma das formas mais simples e seguras de pagar, principalmente após a obrigatoriedade do registro dos documentos pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Eles sempre vão possuir os mesmos dados, valor, dia do vencimento e serão gerados de forma automatizada.

Este método permite que o cliente receba uma cobrança a cada mês, ou de acordo com a frequência configurada. Além disso, ele não corre o risco de perder o documento ou pagar parcelas antecipadas por engano. Como o processo é online, o consumidor não precisa se preocupar com extravio do documento.

Com o surgimento da Nova Plataforma de Pagamentos da Febraban, as operações tornaram-se mais confiáveis, registrando junto ao banco informações como nome, CPF, data de vencimento e valor da compra.

Segundo a Febraban, entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019 foram registrados 1,5 bilhão de boletos no novo sistema. A estimativa é que essa solução elimine R$ 450 milhões, aproximadamente, em fraudes por ano.

A vantagem do registro bancário é que, em caso de não pagamento, ele pode ser protestado em cartório, junto a um documento que comprove a compra. Para protesto, é necessário o título de crédito associado ao boleto, exemplos: Nota Fiscal, Nota Promissória, Contrato válido, etc. Por isso, é fundamental consultar o cartório da sua região para verificar mais informações.

Para emitir boletos recorrentes com mais facilidade, vale a pena contar com um intermediador de pagamentos, como a Gerencianet. Nele, os dados do comprador devem ser informados para gerar e encaminhar o título ao cliente. A conta bancária é necessária para fazer as transações financeiras, direcionando os fundos cobrados. Caso seja uma pessoa física, basta ter somente uma conta poupança para efetivar as transferências.

Em sistemas de pagamentos, a emissão pode ser feita gratuitamente e a tarifa só será cobrada da empresa após o consumidor quitar o boleto. Outra vantagem é a facilidade na emissão dos títulos, que pode ser feita diretamente pelo sistema do intermediador de pagamentos ou por meio de integrações com parceiros.

Com a utilização desse novo sistema de liquidação e compensação, é possível fazer o pagamento dos títulos após o vencimento em qualquer instituição bancária. Assim, ficam mais eficientes os cálculos de encargos como juros/multa e desconto, dando uma transparência maior de todo o processo.

Quero emitir boletos agora mesmo

O que são carnês?

O carnê é um conjunto de boletos e a sua utilização é recomendada para clientes que realizam o pagamento dos débitos com recorrência. Um exemplo disso é um mensalista de academia que pode receber um carnê com até 12 parcelas, já tendo acesso a todas de uma única vez.

Este método pode auxiliar com a inadimplência. Como a emissão será realizada apenas uma vez e entregue para o cliente, o processo de venda se torna mais ágil — além de permitir ao emissor realizar o acompanhamento de todas as parcelas.

Já o consumidor tem a possibilidade de fazer o pagamento adiantado, uma vez que ele tem acesso a todas as parcelas. O carnê é ideal para negócios associados a mensalidade, que têm clientes fixos, como provedor de internet, academia, transporte escolar e outros.

Segundo um estudo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o carnê bancário é o segundo meio mais usado para compras no crédito, sendo apontado por 27% dos entrevistados.

Os carnês também dão a possibilidade de adicionar automaticamente o juros/multas para evitar a inadimplência. Como essa informação fica registrada no documento, basta calcular que o cliente tem conhecimento do valor que sua parcela pode atingir, o que pode lhe estimular a fazer o pagamento na data correta.

Quais são as vantagens de utilizar esse método?

Como vimos, usar boletos recorrentes para vender algum produto ou serviço a prazo pode diminuir as chances de ter algum atraso no pagamento por causa de esquecimento do cliente ou algum tipo de fraude.

Porém, existem outras vantagens para quem utiliza esse método na sua empresa. Um exemplo é conseguir fazer um atendimento mais personalizado para seus clientes. A seguir, listamos outras vantagens. Confira!

Mais acessível

Um estudo do Banco Central de 2018 apontou que 60% dos brasileiros preferem efetuar pagamentos com dinheiro em espécie. Em seguida vem o cartão de débito (22%), de crédito (15%) e o débito automático (1%). No caso de valores acima de R$500,00, a porcentagem dos que usam dinheiro para quitar a despesa ainda ocupa uma grande parcela da população.

Além disso, a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que no Brasil existem aproximadamente 60 milhões de brasileiros sem conta no banco e, assim, sem acesso a cartões de crédito ou débito. Então, o boleto se torna a melhor opção para esse público.

Essa cobrança ajuda a fidelizar esse público que ainda prefere ter o controle financeiro, sem a necessidade de contato com um banco. Dessa forma é possível diminuir a perda de vendas e o déficit causado por atrasos no pagamento.

Aumenta a segurança

Trabalhar com boletos, únicos ou recorrentes, permite que a empresa tenha uma prova a mais caso queira cobrar algum cliente judicialmente. Para o consumidor, o pagamento por esse método não precisa de muitos dados para ser emitido.

Para aqueles que pretendem usar um intermediador de pagamento para gerar os boletos, todas as informações ficam armazenadas e criptografadas no sistema. Além disso, há ferramentas para facilitar a gestão do seu negócio, como controle de inadimplentes, geração de relatórios e envio de cobranças automaticamente.

Maior economia

Ao gerar boletos por meio de um sistema de pagamentos, o empresário consegue reduzir gastos que envolvem o despacho manual dos documentos e mão de obra. Ou seja, com uma plataforma online é possível fazer o envio por e-mail, o que impacta na diminuição do consumo de papel e tinta, por exemplo. Além disso, há uma economia de tempo, já que a cobrança não precisa ser emitida todo mês.

Ao deixar de usar o banco como emissor dos boletos, a empresa não precisa mais pagar a taxa por cada boleto emitido, outro ponto que ajuda a economizar. Isso elimina o risco de ter gastos com os que não foram pagos ou cancelados. Usando o intermediador de pagamento, esse valor só será cobrado quando o título for pago pelo cliente.

Facilidade no gerenciamento

Para emitir boletos recorrentes, é importante escolher um sistema de pagamentos que melhor se adeque para atender o seu negócio. Principalmente para micro, pequenas e médias empresas.

Com o crescimento do seu empreendimento,  a automação dos pagamentos pode fazer toda a diferença e incentivar o progresso das suas vendas. Dessa maneira, é possível ajudar na sua gestão financeira.

Como escolher um intermediador de pagamentos?

Toda empresa precisa ter um meio para viabilizar o negócio e efetuar as cobranças. Um dos maiores desafios para quem empreende atualmente é reduzir a inadimplência e manter o negócio sustentável mesmo diante de crises. Contar com um sistema para fazer essa gestão pode ajudar a reduzir prejuízos e atrasos no seu negócio.

Para obter o sucesso é essencial contar com um intermediador de pagamento capaz de atender às suas demandas. A plataforma deve oferecer soluções que vão beneficiar o empresário e o consumidor, cuidando de todo o processo por trás de um recebimento, seja por cartão, boleto ou carnê.

Como existem taxas diferentes para cada operadora, vale buscar a que melhor pode se encaixar no seu caso. Uma da grandes vantagens é que muitas dessas empresas têm atendimento personalizado e online. Isso evita a necessidade de ir ao banco para retirada de dúvidas, além de garantir maior agilidade, já que não é necessário enfrentar filas desgastantes para atendimento.

Afinal, é preciso ganhar tempo e liberdade para realizar os processos que podem ser melhores para a sua estratégia. Além disso, um sistema de pagamento garante a segurança das vendas e impede que ocorram violações, como o vazamento de dados importantes, fraudes e repasse. Portanto, busque sistemas que vão oferecer processos ágeis e seguros para as suas transações.

Como funciona na prática?

Com a obrigação do registro dos dados para fazer a emissão de um boleto, agora é preciso informar o nome completo/Razão Social, CPF/CNPJ, telefone do cliente e o e-mail, caso essa seja a forma de envio. Ao usar plataformas de pagamento, a inclusão desses dados pode se tornar ainda mais simplificada.

Para gerar boletos recorrentes no sistema da Gerencianet, é preciso acessar o menu “Cobranças” e em seguida, “Emitir Cobranças”. Depois siga os seguintes passos:

  • escolha a opção “Assinaturas”;
  • defina “Boleto” como seu meio de cobrança;
  • determine como os boletos serão enviados;
  • selecione os clientes que receberão a cobrança e preencha todos os campos obrigatórios;
  • cadastre um plano ou crie um, caso não tenha;
  • destaque quais serão os itens cobrados;
  • informe a data de vencimento e os dados adicionais da cobrança, caso necessário;
  • por fim, basta clicar em “Enviar” para finalizar a emissão.

Gerar relatório

Emitir boletos por meio de um intermediador permite gerar relatórios das transações financeiras efetuadas e programadas. Eles também podem ser produzidos de acordo com os dos pagamentos recebidos ou não, transferências, estornos, entre outros. Para ter acesso a esses relatórios, basta seguir o procedimento abaixo:

  • clique em “Extrato Financeiro” na tela inicial da conta;
  • selecione o filtro que deseja;
  • de acordo com o formato do arquivo que deseja, clique em “Exportar para CSV” ou “Exportar para PDF”.

Acompanhar inadimplentes

As cobranças feitas via carnê ou boleto gerados pelo sistema permitem que o operador da plataforma consiga visualizar todos seus clientes inadimplentes. Esse é um ponto importante para manter o relatório financeiro atualizado e ajudar a tomar as melhores decisões para seu negócio. Para saber quais os clientes estão em dívida, siga as seguintes orientações:

  • acesse “Boletos ou Carnês”;
  • selecione a opção “Inadimplente” no botão de status;
  • em “Data” escolha o período desejado.

Assim, é possível verificar todos os clientes devedores naquele período. Agora, caso queira gerar um relatório para documentar os dados dos inadimplentes é preciso:

  • ir em “Visão Geral” em “Boletos e Carnês” e selecionar “Relatórios”;
  • clique em “Gerar Novo Relatório”;
  • escolha qual o período será usado, que pode ser a data de emissão ou de vencimento. Aperte o botão “Próximo”;
  • selecione os itens de cobrança que você irá pesquisar. Caso queira uma visão geral clique em “Próximo’. Caso contrário, selecione os itens específicos e vá para a próxima etapa;
  • pressione a opção “Inadimplentes” e depois “Gerar”
  • você ainda pode exportar para PDF e excel.

Cancelamento da assinatura

A partir do momento em que você confirmar o cancelamento, nenhuma nova cobrança será gerada e o agendamento será excluído. Na mesma seção, você pode alterar a data de vencimento e a periodicidade da cobrança e enviar um e-mail para seu cliente. Se você alterar alguma opção da recorrência, os novos dados serão válidos também para as próximas cobranças.

Cancelamento da assinatura

No sistema da Gerencianet, o cancelamento é um processo bem simples e fácil — lembrando que as cobranças são geradas por tempo indeterminado e podem ser canceladas a qualquer momento. Para isso, escolha a opção “Cobrança”, no alto da tela e “Gerenciar cobranças” logo em seguida. Depois disso, siga estes passos:

  • escolha “Assinatura” e selecione qual a parcela ou assinatura deve ser cancelada;
  • clique em “Cancelar” e depois em “Confirmar”.
  • a seguir, o comprador receberá um e-mail informando o cancelamento.

Caso o pagador queira cancelar a assinatura, ele deve entrar na “Área do Pagador”, informar os dados de acesso e clicar no botão “Cancelar Assinatura”. Nesse caso, o nome do cliente aparece como agente do cancelamento no histórico de assinatura. Quando isso acontecer, o usuário principal receberá uma notificação informando o cancelamento.

Cancelamento da solicitação de assinatura

Para cancelar uma assinatura que ainda está pendente, é preciso seguir os seguintes passos:

  • após escolher o menu “Cobranças”, vá em “Assinatura” e depois na aba “Solicitação”;
  • escolha a solicitação que deseja cancelar;
  • clique em “Cancelar”.

Para que esse processo seja feito, o cliente não pode ter cadastrado os dados de cobrança. Após a conclusão do processo, ele não conseguirá mais usar o link.

2ª Via

É muito comum pessoas esquecendo ou perdendo alguma coisa importante no dia a dia. Por isso, existe a opção de gerar a 2º via do boleto único, recorrente e carnê. Porém, vale lembrar que não é mais necessário alterar a data de validade caso a cobrança vença. Ela pode ser paga em qualquer instituição bancária mesmo após o vencimento.

Ao usar um sistema adequado, você pode fazer essa emissão de forma mais rápida e enviar o documento para o consumidor. Para definir os juros e multas em nossa plataforma, siga os seguintes passos:

  • vá em “Configuração”, presente na seção “Boletos e Carnês”;
  • ative a opção de “Juros e/ou Multa” na “Configuração de Juros e Multa”;
  • informe os valores que serão cobrados;
  • salve as novas configurações.

Após fazer esses ajustes, basta o cliente acessar a página para solicitar a segunda via e preencher os campos com o número da cobrança e o CPF ou CNPJ do sacado. Todo documento que for feito após a data limite sairá com os valores adicionais, conforme programado. Em caso de perda, é possível gerar um novo boleto para ser pago em até 29 dias após o vencimento.

Todo o processo de emissão de boletos, definição de juros e multa, cancelamento e segunda via fica muito mais fácil com a ajuda de um intermediador de pagamentos em uma empresa.

Assim, é possível conseguir oferecer seu serviço ou produto para qualquer cliente, ter um atendimento personalizado e movimentar o fluxo de caixa com mais agilidade, permitindo novos investimentos para o seu negócio.

Gostou e quer saber mais sobre como utilizar o boleto para pagamentos recorrentes? Entre em contato e converse com um dos nossos consultores sobre essa solução!

Categoria

Formas de Pagamento

Ver todos os posts desta categoria

Os melhores conteúdos sobre tecnologia de pagamentos e gestão na sua caixa de entrada.

Deixe seu e-mail e receba gratuitamente:

Carregando...